A queda chocante (mas não surpreendente) do último queridinho do Vale do Silício, Sam Bankman Fried, juntamente com o colapso financeiro de sua empresa FTX, deve ser um alerta para aqueles que apostam na falsa promessa da carne biotecnológica, também conhecida por seu eufemismo de “carne cultivada” ou “carne de laboratório”.

Particularmente, quando combinado com a recente condenação por múltiplas acusações de fraude do ex-CEO (11 anos) e COO (13 anos) da empresa de testes de sangue falida, Theranos, os numerosos paralelos são impressionantes.

Promessas de tecnologia “revolucionária”

Fazer inalações grandiosas é quase uma lei no Vale do Silício, mas isso não as torna certas. O fato é que o ethos “finja até conseguir” ficou fora de controle por qualquer ângulo observado. Inventar algo que nunca foi feito antes é difícil, quase impossível, por isso é tão raro.

Mas é exatamente isso que torna as promessas ainda mais atraentes para os investidores. Com a Theranos, a fundadora Elizabeth Holmes (aos 19 anos!) prometeu revolucionar os exames de sangue. Esta afirmação deveria ter feito qualquer investidor hesitar; em vez disso, a empresa levantou incríveis US$ 945 milhões (R$ 4,876 bilhões na cotação atual).

Como observou um comentarista: “Esses tipos de possibilidades sedutoramente otimistas — promessas como exames de sangue indolores ou escritórios que constroem comunidade — naturalmente chamam a atenção, mas também estão no cerne do engano e da fraude.”

Mesmo após o escândalo, Elizabeth Holmes se safou, desviando as críticas e dizendo: “Isso é o que acontece quando você tenta mudar o mundo”.

Da mesma forma, as principais empresas de carne biotecnológica estão fazendo afirmações questionáveis sobre a viabilidade de seu modelo de negócios, enquanto relatórios e especialistas detalhados e objetivos concluíram que é improvável que a carne cultivada em laboratório cresça de maneira significativa.

Prevendo o futuro

Promessas no futuro são o que nos dá esperança. As empresas de tecnologia sabem que, mais do que tudo, estão vendendo esperança. E quem pode prever o futuro? Mesmo que uma tecnologia não esteja pronta hoje, ela poderá estar pronta amanhã. Ou no próximo ano. Ou em dez anos. Quem realmente pode dizer? Parece ótimo.

A Theranos era especialmente adepta de enganar os investidores (e parceiros de negócios), fingindo que a empresa estava progredindo e simplesmente precisava de mais tempo, como sugere sua linha do tempo. Foram dez anos completos entre a fundação da empresa e quando eles começaram a promover a tecnologia, e 12 anos até a aprovação do primeiro teste do FDA (Food and Drug Administration), a agência dos EUA.

Da mesma forma, as empresas de carne biotecnológica e seus promotores continuam avançando no campo, mas o que se vê são 15 anos de previsões que não se concretizaram. Em apenas um exemplo, a empresa holandesa Mosa Meat previu em 2015 que teria produtos “no mercado em cinco anos”.

Nos EUA, a empresa líder Upside Foods fez inúmeras previsões fracassadas, às vezes com a ressalva de “pendente de aprovação do governo”. A Upside afirmou em maio do ano passado que havia produto “pendente de aprovação”, e que “poderiam” ter esse produto disponível para os consumidores até o final de 2022. A indústria usa muitas palavras como “poderia”, “pendente”, “esperamos”, tudo para evitar ser preso a falsas previsões.

Uma tática relacionada é uma gama cada vez maior de anos durante os quais uma previsão pode cair. Por exemplo, a fundadora e CEO da Upside, Uma Valeti, recentemente “previu” que o produto atingiria a paridade de preço com a carne convencional em 5 a 15 anos, sem oferecer qualquer justificativa para esse prazo.
A Eat Just, a única empresa a vender produtos comercialmente até agora (em restaurantes em Cingapura), está sob escrutínio por fazer alegações questionáveis. (Anteriormente conhecido como Hampton Creek and Company, seu fundador e CEO, Josh Tetrick, tem uma longa história de escândalos.) Como disse um especialista sobre Eat Just e carne biotecnológica: “Esta é uma continuação do que a empresa vem fazendo há anos: está vendendo narrativas sedutoras com muito pouca substância”.

Dinheiro estúpido

Claro, é possível um projeto fracassar por não conseguir segurar investidores crédulos que o sustentem em um primeiro momento. A Theranos tinha vários investidores e membros do conselho que não sabiam nada sobre exames médicos e falharam em realizar a devida diligência.

Da mesma forma, a maioria dos investidores em carne biotecnológica não tem ideia da indústria alimentícia. Alguns estão interessados apenas em evitar que os animais sejam consumidos como carne, enquanto outros são apenas investidores típicos de tecnologia em busca da “novidade”.

Os investidores já despejaram muito dinheiro em startups de carne biotecnológica, em algumas contas até US$ 2 bilhões (cerca de R$ 10 bilhões), apesar das muitas questões levantadas. A carne alternativa tornou-se um investimento quente há alguns anos, especialmente quando o IPO da Beyond Meat (à base de plantas) disparou em 2019.

Mas as coisas não estão indo tão bem atualmente.

Investir e esperar ganhar dinheiro sem ter conhecimento sobre o campo em que se está investindo não é apenas arriscado, mas também pode criar exageros, levando à queda inevitável, seja por fraude, incompetência ou simplesmente pela falta de um modelo de negócios viável para começar. Ou alguma combinação dos três.

Idolatria de fundadores e CEOs X Obsessão pela mídia

O Vale do Silício é obcecado por fundadores, como evidenciado pela cobertura incessante da mídia sobre o último prodígio, que mais recentemente foi Bankman-Fried. Ele era idolatrado não apenas por ser um menino prodígio, mas por seu autoproclamado compromisso com a filantropia. (Ironicamente, algumas doações – inclusive para o braço sem fins lucrativos da indústria de carne biotecnológica, o Good Institute, correm o risco de serem recuperadas em processos de falência.)

Alguns chamavam Sam Bankman-Fried de “J.P. Morgan of crypto” e “The White Knight of Crypto”, em setembro, apenas dois meses antes do colapso de sua empresa. Ele foi celebrado em várias histórias de capa de revista, incluindo a Forbes EUA.

A obsessão da mídia por Elizabeth Holmes e suas altas reivindicações também a levaram a várias capas de revistas de negócios, incluindo a Forbes EUA, que a nomeou “a bilionária mais jovem do mundo”. Holmes era frequentemente aplaudida por abandonar Stanford e abrir sua empresa aos 19 anos, como se isso fosse qualificação suficiente para inventar tecnologia médica.

Da mesma forma, a mídia de modo geral tem dado muita publicidade positiva aos fundadores das duas principais empresas de carne biotecnológica dos EUA: Eat Just e Upside Foods.

O CEO da Eat Just, Josh Tetrick, era um queridinho da mídia, especialmente nos primeiros anos, quando divulgava sua (agora extinta) maionese vegana, aparecendo em muitos estabelecimentos comerciais, como Mad Money com Jim Cramer.

O CEO da Upside Foods, Uma Valeti, foi anunciado por meios financeiros, revistas de negócios e meios de tecnologia, e até há um documentário sobre ele, que por sua vez foi coberto pelos principais meios de comunicação.
Tudo isso parece um pouco prematuro.

Tudo sobre a indústria de carne biotecnológica é prematuro. Todo o setor é essencialmente uma enorme campanha de relações públicas disfarçada de tecnologia de alimentos que finge salvar o mundo. Quando se gasta muito tempo tentando aparecer do que garantindo que sua empresa seja bem-sucedida financeiramente, o castelo de cartas cairá, inevitavelmente.

O tempo dirá sobre a carne de laboratório.
*Michele Simon é colaboradora da Forbes EUA, advogada de saúde pública, especialista em indústria alimentícia e defensora de políticas alimentares. É fundadora da Plant Based Foods Association.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entrar

Cadastrar

Redefinir senha

Digite o seu nome de usuário ou endereço de e-mail, você receberá um link para criar uma nova senha por e-mail.

Membership

An active membership is required for this action, please click on the button below to view the available plans.

pt_BRPortuguese