Apesar de não ser popular no Brasil, o Snapchat segue como uma das principais redes sociais usadas nos Estados Unidos. Na semana passada, a Snap, dona do aplicativo, lançou uma nova versão paga. O objetivo é se afastar do mudo de receita dependente de publicidade.

A Snap, que havia anunciado a versão de assinatura, Snapchat +, no início deste mês, disse que a função estará disponível no Canadá, Reino Unido, França, Alemanha, Austrália, Nova Zelândia, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos.

Os recursos iniciais da versão pagam incluem a capacidade de alterar o ícone do aplicativo e saber quem assistiu novamente a uma “história”. Assim como o Snapchat, outras redes sociais populares tentam escalar versões pagas. Em 2018, o YouTube anunciou duas versões pagas, o YouTube Premium e o YouTube Music Premium, ambos cobram uma assinatura mensal por conteúdo exclusivo.

O Twitter, por algumas vezes, também tentou cobrar de seus usuários. A última tentativa mora no Twitter Blue, liberado em junho de 2021, o serviço também permite alguns benefícios e exclusividades aos usuários dispostos a pagar pela plataforma.

No caminho oposto

Se as redes sociais tentam não depender tanto da publicidade, a Netflix vem fazendo o caminho oposto. Em função da queda de número de usuários, no primeiro semestre de 2022, Reed Hastings, CEO da plataforma de streaming, admitiu que em breve será lançada uma versão gratuita da plataforma, porém, com anúncios.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entrar

Cadastrar

Redefinir senha

Digite o seu nome de usuário ou endereço de e-mail, você receberá um link para criar uma nova senha por e-mail.

Membership

An active membership is required for this action, please click on the button below to view the available plans.

pt_BRPortuguese