Referência única. Sophia, um dos humanoides mais famosos da atualidade, carrega essa característica em seu repertório. Criada em 2015, Sophia já recebeu a cidadania saudita e compartilhou o palco com celebridades como Will Smith e Jimmy Fallon. Na semana passada, durante uma coletiva de imprensa na Conferência da ONU, Sophia chamou a atenção ao declarar que “os robôs não se revoltarão contra a humanidade”.

Sophia foi projetada para interagir com as pessoas de maneira natural, aprendendo com suas experiências e aprimorando suas habilidades ao longo do tempo. Seu desenvolvimento baseou-se em tecnologias avançadas, como reconhecimento facial e processamento de linguagem natural. Além disso, ela incorpora um mecanismo de aprendizado automático, permitindo que adquira conhecimentos e demonstre um entendimento mais profundo em diversos assuntos.

5 ocasiões em que Sophia atuou como celebridade:

No entanto, existem críticas em relação à forma como Sophia tem sido promovida. Ricardo Cavallini, professor da Singularity University, destacou em um recente artigo sobre o assunto que “Sophia é um exemplo claro de relações públicas”. “O que o público não sabia é que todo o roteiro era produzido e ensaiado. O texto era pré-escrito e até mesmo as piadas eram planejadas. As expressões faciais eram controladas por alguém à distância. Na melhor das hipóteses, Sophia era um fantoche bem elaborado. Mas, na realidade, era apenas um truque de marketing”, escreveu Cavallini.

Robôs + ChatGPT

Andra Keay, uma das principais especialistas em robótica do mundo, diretora da Silicon Valley Robotics – uma organização sem fins lucrativos composta por empresas de robótica do Vale do Silício – e fundadora da Women in Robotics, afirmou à Forbes Brasil que, à medida que a inteligência artificial avança, a robótica também evolui. No entanto, ela argumenta que, para os robôs se tornarem o que idealizamos, apenas uma IA como o ChatGPT não é suficiente. “Os robôs precisarão de uma IA que atue em várias camadas, que compreenda a física tanto quanto as pessoas”, afirma Andra.

Ela destaca que a OpenAI, responsável pelo ChatGPT, também está contribuindo para o ecossistema, inclusive integrando o sistema de conversação a robôs. Em fevereiro, a empresa realizou um investimento de R$ 116 milhões na norueguesa 1X, anteriormente conhecida como Halodi Robotics. O objetivo é integrar o ChatGPT a uma estrutura humanoide. “O trabalho da OpenAI tem gerado muita atividade no ecossistema do Vale do Silício”, ressalta Andra. Durante a entrevista à Forbes Brasil, ela também discutiu a relação entre IA e robótica e seu impacto no dia a dia.

“Avanços na IA sempre impulsionam a robótica, assim como a robótica se beneficiou dos smartphones e dos sensores menores desenvolvidos para jogos ou para a indústria automotiva. Os robôs incorporam a IA, mas as mudanças atuais não são tão impactantes para eles. No momento, a IA está aprendendo, com muitos novos métodos de treinamento, acelerando as transformações na linguagem e na compreensão da informação digital. Carreiras em programação, trabalho baseado no conhecimento, comunicação e criatividade estão mudando rapidamente. No entanto, é muito mais difícil e lento alterar a camada física da infraestrutura do mundo, e é nesse contexto que os robôs operam”, destaca Andra.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entrar

Cadastrar

Redefinir senha

Digite o seu nome de usuário ou endereço de e-mail, você receberá um link para criar uma nova senha por e-mail.

Membership

An active membership is required for this action, please click on the button below to view the available plans.

pt_BRPortuguese